Aniversário da Alice – Arraial da Galinha Pintadinha

Oi gente!!

Como já estamos próximo do mês de Junho (pra mim o melhor mês do ano), achei legal mostrar pra vocês um pouco do que foi o aninho da Alice no ano passado, que foi justamente nesse mês lindo. Esse ano resolvemos não fazer nenhuma festa grande, vamos apenas fazer na escola pra ela comemorar com os amiguinhos e no dia do aniversário vamos levá-la pra passear e se divertir.

Voltando, pra escolher o tema não foi muito difícil, até porque ela era louca pela Popó na época, e já que ela não podia escolher o tema que ela queria, fiz do que ela realmente gostava, então eu só fiz ligar as coisas, a Galinha Pintadinha e a Festa Junina, foi assim que dei início às preparações para o Arraiá da Alice.

Comecei a organizar mais ou menos 3 meses antes, comprando as coisas, procurando decoração, fotógrafo, buffet, enfim… Eu sou uma pessoa que se preocupa em primeiro lugar com o que os meus convidados irão comer e se irão comer bem. E pensando nisso eu achei melhor contratar o serviço de buffet, inclusive super delicioso e competente. Inclusive, por causa do tema, pedi para eles trocarem a sobremesas por comidas típicas da época, mingau, canjica, bolo de milho, macaxeira, arroz doce, etc…

Os convites eu mesma fiz e levei pra imprimir na gráfica de um amigo meu, a Ingraphic. A ideia foi minha e da Amanda, fiz em forma de bandeirinhas e colei tudo em um barbante e depois coloquei dentro de um saquinho transparente (ignorem o erro no convite, colei errado, haha). Ah, e já no convite pedi pros convidado irem vestidos a caráter com o tema, praticamente todos foram 🙂

Imagem

Quanto a decoração, não gastei tanto, priorizei realmente a parte da comida e investir maior parte do dinheiro com isso. Por isso, comprei a decoração em um desses sites de compras coletivas por R$ 300,00 que incluiu praticamente tudo e cobrava bem baratinho pra encher os balões. A mesa foi composta pelo bolo MARAVILHOSO criado pela bisavó da Alice, dona Solage. Os doces finos, cupcakes, popcakes feitos pela minha amiga Cláudia. Os poucos personalizados que tiveram eu também comprei em um site de compras coletivas. E as lindas garrafinhas de refrigerante decoradas fui eu mesma quem fiz. A mesa ficou desse jeitinho, simples e bem bonitinha.

 

 

Imagem

 

O bolo MARAVILHOSO…

Imagem

 

Doces finos em forma dos desenhos

 

 

Imagem

 

Brigadeiro de colher

 

Imagem

 

Os cupcakes e maças do amor…

 

Imagem

 

A mesa completa

Imagem

 

Essa é uma outra mesa que ficou com pipocas, hot-dogs, bolo de macaxeira e outras coisas.

 

Imagem

 

Como centro de mesa, eu inventei uma coisa kkkkk. Na verdade eu fiz isso meio que em cima da hora, então fui juntando o que eu tinha de material e fiz o centro de mesa. Fiz desse jeito que vocês podem ver na foto, enchi os cachepot de papel picado, bombons, estalinho, e decorei o pirulitão com mini chapéu de palha e patchouli (acho que assim que escreve…).

Imagem

 

Pra alegrar as crianças eu não contratei animador, achei melhor alugar brinquedos. Achei bem baratinho também em um site de compras coletivas um kit de piscina de bolinhas e cama elástica que foram um sucesso. Os resto da animação da festa ficou por conta dos convidados mesmo, teve quadrilha maluca, trenzinho, casais dançando, foi muuuuito bom.

Imagem

 

Como lembracinhas eu fiz um saquinho daquele tecido TNT e dentro dele coloquei bombons relacionados ao tema, como paçoquinha, pé de moleque, doce de leite, estalinhos, foguetinhos e mais outros bombons pra incrementar, coloquei tudo dentro e amarrei e ficou desse jeitinho. Para os meninos fiz azul e para as meninas eu fiz rosa.

Imagem

Imagem

E é claro que eu não poderia deixar de falar do look belíssimo dela que foi feito pela vódrasta Uyandara, vestido azul de bolinha branca. Depois dos Parabéns eu troquei a roupa dela por uma outra da galinha pintadinha, por causa do calor e agonia dela.

Imagem

Bem gente, como vocês puderam perceber eu quase não investi em decoração luxuosa e personalizados, mas meus convidados foram muuuuuito bem servidos e a festa foi boa demaaaais, garanto pra vocês. Alice aproveitou do início ao fim e só dormiu depois de abrir todos os presentes. Foi ai que percebi que o que vale na festa são as pessoas que nelas estão e principalmente a felicidade do aniversariante, então quando estiver planejando a festinha do seu baby lembre-se que ele é o personagem principal e ele merece aproveitar sua festinha.

Espero que vocês tenham gostado do post e que ele possa ajudar vocês em alguma coisa ai na preparação da festinha 🙂

Beijão, Cris Rendeiro

Anúncios

O momento certo para o bebê dormir sozinho

Oi gente!!

Eu já estava a um bom tempo querendo falar desse assunto e agora como estou prestes a iniciar esse momento em casa, resolvi pesquisar um pouco e compartilhar com vocês sobre o que fazer quando chega esse momento.

Li sobre o que muitos especialistas dizem sobre esse assunto e pelo que percebi, não vai ser nada fácil passar por isso. Eles dizem que o certo é na verdade, deixar a criança sozinha assim que deixa a maternidade. E mesmo que para os pais seja mais cômodo ter o bebê ali na cama, por causa das frequentes mamadas e trocas de fraldas, esses especialistas dizem que são os pais quem tem que se acostumar com a rotina do bebê e não o contrário. Eu sinceramente não tenho nada contra o bebê dormir na mesma cama que os pais nos primeiros meses, até porque eu achava tão gostoso ter a Alice ali pertinho de mim, e sem contar no medo que eu tinha dela se engasgar anoite e muitos e muitos pensamentos.

Até hoje, a Alice com 1 ano e 9 meses, ainda dorme conosco na mesma cama e eu continuo achando muuuuuito gostoso ter aquela costelinha ali comigo. Como já contei em outro post, nos mudamos recentemente pra nossa casa e o quartinho dela ainda não está do jeito que eu quero, por isso resolvi atrasar um pouco mais essa passagem de quarto dela.

Essa semana pensei muito sobre o assunto e resolvi que enfim chegou a hora, ela  não mama mais, dorme a noite toda e sem precisar nanar, já vai pra escola, é quase uma mocinha, então nada melhor do que ela ter o canto dela e nós o nosso (precisamos urgentemente disso). Quero dizer pra vocês que eu só vou muda-la de quarto porque eu realmente me sinto segura com isso e sei que mesmo com a fase de adaptação, vai ser melhor para todos, então se você está pensando em fazer o mesmo com seu filho, pense primeiro se VOCÊ se sente segura disso.

sb10064105ad-001

Uma dica pra que ela se adapte mais rápido é impor uma rotina diária, no caso da Alice as 21hs no máximo ela já está de pijama e no quarto prontinha pra dormir. Outra coisa, a casa toda deve ajudar nesse processo, pois não adianta nada colocar a criança pra dormir as 21hs se a casa continuar agitada.

Os especialistas também dizem que os pais tem que se controlar na hora quem que ouvirem qualquer barulhinho da criança, e não sair correndo por qualquer gemidinha. Uma dica é ficar com a criança no quarto até que ela pegue no sono, pelo menos nos primeiros dias da mudança. E há quem prefira uma babá eletrônica, mas eu acho que basta deixar as portas dos dois cômodos entreabertas para poder atender a qualquer chamado.

Vou iniciar essa fase ainda esse mês, depois posso fazer um post pras contar como foi na prática. Qualquer dúvida, crítica ou sugestão é só escrever nos comentários ou enviar para o email chadamamae@gmail.com. Estamos também no facebook e instagram, segue a gente lá http://www.facebook.com/chadamamae e @chadamamae.

Espero que tenha gostado. Beijão e até a próxima :*

Bebês e Animais de estimação, como conviver…

Olá pessoal!
Demorou mas eu resolvi falar sobre um assunto que está completamente presente na minha vida, a relação dos bebês e os animais de estimação. Para alguns esse assunto pode ater ser meio “polêmico”, por diversos fatores individuais de cada pessoa. Mas vou contar pra vocês um pouco da minha experiencia sobre o assunto (o que não é pouco).
O que fazer com o animal de estimação depois da chegada do bebê?
Bem, antes de engravidar da Alice eu e meu marido já tinhamos uma “Filha Dog”, a Pérola, que realmente sempre foi tratada como uma filha, dormia na cama com a gente e tudo. Depois de um ano com a ela, engravidei da Alice… Como sempre, a Pérola esteve ao meu lado a gravidez inteira, como grande companheira que é.
Durante esse tempo, procurei ler o máximo que pude sobre o assunto, como fazer essa relação de bebê e animal, que me ajudou muito nesse processo. Um tempo antes da Alice nascer, fomos mudando os hábitos com ela e acostumando a Pérola a não dormir mais na cama com a gente.
Quando chegamos da maternidade, a Pérola com a alegria que sempre nos recebia ficou curiosa em saber o que era a aquele serzinho estranho ali nos meus braços. Abaixei a Alice um pouquinho pra ela sentir o cheirinho e saber que era a mais nova moradora da casa que estava chegando.
No começo foi MUITO difícil, pois todos achavam que era melhor a Pérola não dormir no quarto conosco. Então tivemos de deixá-la dormindo em outro quarto, ela sofreu bastante, durante o dia, ficava horas na porta do nosso quarto chorando. Eu confesso que me arrependo um pouco de ter feito desse jeito, pois demorou um pouco pra Pérola se acostumar com a Alice e tinha até um certo receio de chegar perto. E também quando ela se aproximava da Alice, as pessoas próximas (avós, tios, etc…) acabavam assustando ela e tirando-a de perto da Alice. Se eu pudesse voltar no tempo, teria feito um pouco diferente, mas também é claro que não deixaria a Pérola dormir na cama ou lamber a Alice né, porque já seria demais kkkkkk. Com o tempo fui introduzindo as brincadeiras e carinhos entre elas e pra mim foi demaaais, é uma maravilha pra mim ver as duas brincando (tirando as vezes que tive que correr atrás da Pérola pra pegar o brinquedo da Alice que ela pegou). Ah e no aniversário de 1 aninho da Alice, a Pérola estava lá toda vestida de quadrilha, curtindo a festa e ainda foi pra mesa dos parabéns kkkkk.
Hoje em dia vivemos tranquilamente com as duas juntas, Alice ama a Pérola, e a Pérola também corresponde a maioria das brincadeiras e carinhos, mas a ainda tem um certo receio de brincar com a Alice (ela malina demais da cachorra). Minha filha não desenvolveu alergia nenhuma à animais, não teve problema nenhum causado por animais domésticos. Acredito que a Pérola faz muito bem pra Alice pois ela realmente a reconhece como irmã que faz companhia pra ela todos os dias e a recebe com todo amor e carinho quando ela chega da aula.
O que eu diria para quem tem um animal de estimação e ta esperando um bebê?
1. NUNCA abandone seu bichinho, faça de tudo para não deixá-lo de lado completamente, eles sofrem demais. Sempre antes do banho, enquanto a Alice dormia eu tirava um tempinho pra dar carinho pra Pérola.
2. Apresente seu bebê para o seu bichinho pra que ele possa ir se acostumando com a presença daquele serzinho ali.
3. Converse sempre com ele e fale sobre o bebê.
4. Converse com o pediatra do seu bebê sobre como fazer essa relação com o animal, para que os dois possam conviver tranquilamente. Já foi provado que a relação de bebê e animal fortalece o sistema imunológico.
5. Sem contar que é uma maravilha ver a relação e interação de bebê e o bichinho.
Espero que vocês tenham gostado… Qualquer dúvida, crítica ou sugestão é só entrar em contato com a gente 🙂
Até a próxima, Cris Rendeiro
chadamamae

O que mudou na minha vida depois da chegada da Alice

Imagem

Olá gente!

Depois da Amanda, chega a minha vez de falar sobre o que mudou na minha vida depois da chegada da Alice…

Hoje ela tá com um ano e oito meses e todos os dias desde quando eu descobri que estava grávida, quando eu deito na cama penso no quanto minha vida mudou.
Não planejamos a chegada da Alice, por isso o primeiro impacto foi desesperador, eu estudava, trabalhava e até então ser Mãe não estava nos meus planos. Depois que eu parei pra pensar que dentro de mim crescia uma vida, foi tudo mágico, cada mudança no corpo, nas atitudes, tudo mudou. Apesar daquela barriga enorme, eu me sentia a mulher mais linda do mundo. Tive uma gravidez meio complicada, com queda, descolamento de plascenta, infecção urinária, contrações antes da hora, e o que mais me desesperou foi saber em uma consulta de rotina, que eu precisaria passar por uma cesariana de emergência pois a Alice estava entrando em estado de sofrimento e o coraçãozinho dela não estava batendo normalmente. Nesse momento o meu mundo parou, eu nunca tinha visto aquele rostinho ou sentido ela em minhas mãos e eu já não sabia o que seria da minha vida. Fui para o hospital e fizemos o parto e deu tudo certo. Ali estava eu, sem saber explicar até hoje o que eu senti naquele momento.
Depois desse dia, tudo na minha vida gira em torna dela, eu abri mão de noites de festa, idas ao cinema, saida com os amigos, não apenas por caus dela, mas sim por nós duas. Quando muitos pensavam que eu largaria a faculdade por causa dela, se enganaram, pois é ela que dá forças pra conseguir vencer cada vez mais na vida.
Hoje vivo uma rotina completamente diferente de quando não tinha ela, aprendi a ser mais responsável com tudo.
Durmo tarde, pois só consigo trabalhar e fazer as coisa de casa quando ela dorme, acordo cedo pois tenho que deixar tudo pronto antes dela acordar. Quando saímos com ela, me preocupo se o local é adequado pra crianças, se ela vai gostar ou se sentir mal, me preocupo até mesmo com a minha saúde, porque doente eu posso não conseguir cuidar dela direito. Quando ela dorme por muito tempo (assim como TODAS as mães que conheço) vou lá pra saber se ela está respirando. Sem contar quando ela se machuca e chora, eu choro junto. E é claro que não posso deixar de mencionar o estresse que também aumenta ( E MUITO), mas ver aquele rostinho dengoso na minha frente logo depois é o que compensa.
É tanta coisa que eu me preocupo que ninguém teria saco pra ler kkkkk, alimentação, escola, vacinas, doenças, roupas, efim, coisas de mãe… 
O engraçado é quando eu e o Maurício saímos sem ela, logo sentimos falta, queremos voltar pra casa e só pra ter a presença dela.
 
Talvez minha vida tivesse outro rumo se eu não tivesse ela, se pra melhor ou pior, isso não importa. O que importa é que a vida que tenho hoje só tem sentido porque a Alice faz parte dela e daqui pra frente tudo o que eu pretendo ser e fazer vai ser sempre pensando no melhor pra ela, que faz os todos os meus dias estressantemente felizes kkkkkkkk.
 
Beijos e até a próxima
 
Cris Rendeiro

É hora do lanche

hora_do_lanche

Olá meninas!

Hoje eu vou falar sobre um assunto que estava me preocupando esses últimos dias, que é sobre o lanche ideal pra a Alice levar pra escola. É a primeira vez dela na escola, tudo novo e além do todo resto que eu tenho pra me preocupar ainda tem o lanche. Cheguei até a perguntar se lá na escola eles ofereciam um serviço de lanche feito por eles mesmos, em que eu pudesse pagar alguma taxa e a responsabilidade ficaria por conta deles. Até porque oferecer um lanche escolar saudável é uma grande dificuldade para nós mães. Muitas vezes é difícil unir qualidade com praticidade, não estou dizendo que é impossível fazer um lanche prático e saudável, mas principalmente no caso da Alice que vai estudar de manhã, é complicado pela questão do tempo pra fazer tudo e depois ainda ter que enfrentar aquele trânsito. Muitas vezes o prático não é o mais saudável, mas são o que as crianças mais adoram. Mas pra tudo podemos dar um jeitinho e dá pra fazer um meio termo e equilibrar essa alimentação.

Primeiro vamos falar das lancheiras, eu optei por uma térmica, pois elas conservam melhor os alimentos e evita que eles estraguem com facilidade.

Outro fator importante é respeitar a preferencia da criança, não deixando-a escolher o que ela quer levar, mas sim colocando sempre os alimentos que mais agrade ela.

Salgadinho, biscoitos recheados, chocolates, bombons não são proibidos, mas evite colocar na lancheira com muita frequência.

Se a lancheira não for térmica, tenha cuidado com os iogurtes e frios (queijo, requeijão, etc…) pois eles estragam com muita facilidade.

Coloque sempre uma fruta na lancheira, mas é sempre bom perguntar pra criança (quando ela for entendida, que não é o caso da Alice) que fruta ela prefere levar, pois assim a possibilidade dela realmente comer é mais fácil. E opte também por frutas que não estraguem com facilidade.

É sempre bom colocar uma garrafinha de água na lancheira, as crianças sempre esquecem de beber água. É sempre bom ter por perto.

É claro que não podemos esquecer dos carboidratos, pois eles são responsáveis pela energia. Pães integrais, fracês, bisnaguinha, barrinhas de cereais, tudo é interessante de colocar.

Procure variar ao máximo o lanchinho deles para que não enjoem com facilidade e é muito importante que seja um lanche bem colorido e bonito para que a criança sinta prazer de comer.

Espero ter ajudado em alguma coisa. Qualquer dúvida, sugestão ou crítica é só deixar nos comentários. Beijos e até a próxima.

Cris Rendeiro 😉

É hora de BRINCAR!!!

Olá meninas!

Hoje resolvi falar sobre uma coisa muito gostosa de fazer com nossas crianças… Brincar!!! Minha gatinha já esta com um ano e quatro meses e há muito tempo já está nessa fase tão boa. E por estar passando por isso, resolvi compartilhar com vocês um pouco do que eu vivo e o que os especialistas tem a dizer a respeito desse momento tão especial, tanto para os pais quanto para nossas crianças.

A primeira coisa que devemos saber é que é brincando que seu filho experimenta novas sensações e aprende a lidar com diferentes situações. Os sons, as músicas, as cores, as texturas e as formar dos brinquedos estimulam as habilidades e as potencialidades para o desenvolvimento da criança. E se nós, pais, brincamos com ela, esse aprendizado pode ser ainda mais estimulante.

Quando a Alice entrou nessa fase que eu percebi que ela já conseguia interagir com os brinquedos, já sabia o que era cada um deles, eu parei e perguntei para mim mesma: E eu, ainda sei brincar? Foi muito importante pra mim ter feito essa pergunta pois eu passei a buscar a melhor forma de brincar com ela, fui procurar saber como interagir naquela fase ali e até hoje faço isso. Percebi que não é preciso ela ter o brinquedo mais caro ou mais colorido para despertar nela o gosto por brincar, bastava sentar ali no chão no ladinho dela e criar o nosso mundo imaginário, com o que tínhamos em mão mesmo. Muitos pais passam o dia fora e quando chegam em casa estão cansados e sem disposição para ainda brincar, é difícil eu sei… Mas eu tenho certeza que o esforço vai valer apena e que mais na frente você vai sentir falta desses momentos, dedique nem que seja meia hora do seu tempo para brincar com seu filho. Sem contar que brincar com eles é muuuito divertido, você realmente se torna criança outra vez e vai se conectando cada vez mais com o aprendizado do seu filho.

Imagem

 

Os pediatras dão algumas dicas sobre o desenvolvimento das crianças:

Bebês de 0 a 12 meses

Estímulos visuais e sonoros como móbiles coloridos e conversas ao pé do ouvido ajudam o recém-nascido a desenvolver a visão e registrar a voz da mãe. No terceiro mês, o bebê começa a colocar as mãos na boca o no início do quarto mês, eles começam a levar objetos até a boca, por isso os brinquedos devem ser macios, de borracha, atóxicos e antialérgicos. Já no quinto mês o bebê reconhece o próprio nome, e brincadeiras com musicas são ótima opção estimular o aprendizado. Do sexto mês em diante misture leite materno às papinhas e frutas amassadas no cardápio do bebê.

A curiosidade do bebê aparece a partir do oitavo mês, portanto, é muito importante tampar todas as tomadas e ter cuidado com as quinas dos móveis. Para estimular o bebê a andar pequenas distancias, segure-o pelos bracinhos enquanto o pai espera à frente.

O mais importante nesse período é não deixar o bebê sozinho, pois ele precisa de atenção para aprimorar o conhecimento nos seus primeiros meses de vida.

 

Bebês de 12 a 24 meses

Conversar, abraçar, sorrir, beijar e olhar nos olhos do bebê durante as trocas de fraldas, no banho e na hora das brincadeiras são as formas mais eficazes para estimular o desenvolvimento do emocional da criança. E brinquedos interativos ajudam no desenvolvimento intelectual do bebê.

Se você fala outro idioma, ensine ao seu filho, pois nessa fase ele aprende com mais facilidade. Brincar de esconde-esconde é um ótimo estimulo para desenvolver a memória do bebê.

Lembre-se: nessa fase a criança já tem uma boa percepção sobre o mundo, portanto, saber filtrar as mensagens é muito importante para o desenvolvimento e aprendizado do seu filho.

 

Bebês de 24 a 36 meses

Aproxime seu filho de crianças da mesma idade. Passe mais tempo no chão sentado brincando com seu filho, pois, mesmo conhecendo novos amiguinhos, ele vai saber que você é o melhor amigo dele. Ensine seu filho a dar tchau, pedir licença, dizer obrigado e expressar suas vontades.

Respeite seu bebê quando ele não se sentir confortável na presença de pessoas estranhas. Leia todos os dias para seu filho, pois nessa fase da vida o vocabulário de uma criança a mais de mil palavras.

Criar um vínculo de amizade com seu filho, conversar mais vezes com ele procurar saber o que ele anda fazendo é a melhor maneira de conquistar a sua confiança.

 

Não existe coisa melhor que brincar, não acham? E com nossos filhos é melhor ainda… Por isso vamos aproveitar cada momento que temos com nossas fofuras e nos divertir ao máximo. Espero que vocês tenham gostado do post meninas, qualquer dúvida ou sugestão é só entrar em contato com a gente, aqui pelos comentários mesmo ou pelo email (chadamamae@gmail.com), se preferir.

Beijão e até a próxima 😉

Por: Cris Rendeiro