De Mãe para Mãe – Relatos e Experiências pessoais

Oi gente! Hoje eu estava deitada e pensando sobre a vida, pensando mesmo, viajando legal. Ai parei pra pensar em como seria minha vida caso eu não tivesse a Alice e sabe o que mais me surpreendeu e me inspirou pra escrever esse post? É que eu não consegui imaginar como seria e nem consegui lembrar de como toda minha vida era antes da chegada dela.

Lembrei desde o dia em que eu desconfiei da gravidez e sai de casa pra comprar o teste na farmácia, e comecei a lembrar também o que muita gente me dizia sobre ser mãe.

Tive uma gravidez bem complicada, mas desde o dia que eu descobri que seria mãe minha vida se transformou. A vontade de ver aquele barrigão enorme aparecer logo pra todo mundo ver era grande, os paparicos, as fotos, tudo era maravilhoso. Mas infelizmente a gravidez não é só amores, tem os desconfortos, as angustias e a falta de confiança, tudo de uma vez só.  E aí você tem que ser confiante e não perder a auto estima, procurar se arrumar da mesma maneira de antes, com alguns números a mais, mas o que importa é tá sempre linda.

A gestação é linda e maravilhosa, mas o parto, aaaah gente, o parto é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida. Vai ser um momento que vai ficar gravado pra sempre na minha memória, cada pedacinho daquele dia. O meu parto foi cesárea, de urgência pois a Alice estava entrando em estado de sofrimento dentro de mim, agradeço a Deus por ter colocado o dr. Eduardo Paiva na minha vida, pois ele acompanhou com toda paciência minhas idas e vindas da gravidez. Mas sim, voltando! Quando eu ouvi o choro da minha filha pela primeira vez (ela demorou 1 minuto pra chorar, foi desesperador) foi uma emoção impossível de descrever, ver o rostinho dela então, noooossa, vocês vão saber o que é isso. Mesmo ela ali toda inchadinha, era a criança mais linda do mundo.

411921_326781214070285_1439944610_o

O que não é legal é o pós-parto, isso sim é um caos na nossa vida. Quando é de parto cesáreo é bem mais demorada a recuperação, de parto normal parece que é bem mais fácil. Mas o período de quarentena é difícil demais, pelo menos foi pra mim. Nós ficamos muito limitadas à muitas coisas e ainda temos que cuidar do bebê e do marido. Sem contar nas noites de sono, aviso logo, É TENSO! As mamadas são de 3 em 3 horas (de madrugada estende-se mais esse tempo), e ainda tem o cocô. Quando você tem uma mãe e um marido igual o meu que me ajudaram demaaaaais nesse tempo, ai é mais fácil. Uma dica que eu dou: Aproveite para dormir de manhã enquanto o bebê dorme (não quero assustar ninguém, mas passei por isso e já adianto logo kkkkkk). Pra quem é casada, ainda tem a questão da insegurança com o marido, você fica meio que impedida sexualmente, passa a dar mais atenção pro bebê do que pra ele, ai complica. O bom mesmo é saber medir essa atenção e tentar compartilhar com ele cada momento e responsabilidades. Quando o bebê dormir, reservem um tempinho pra vocês namorarem, vai ser bom para os dois, garanto!

Depois dos 3 meses, tudo fica mais fácil, o horário do soninho começa a regular, você já está bem no ritmo de mãe e as coisas vão se acalmando. Ah, o peso? A barriga? Tudo volta, só depende de você. Eu usei cinta no 6 dia, quando meu médico liberou. Se você puder usar antes, use. Exercícios não tive como fazer logo. E a alimentação deve ser a melhor possível, até porque vai servir pra você e pro filhote. Nessa fase de bebê mais durinho, crescidinho, você já começa a ver com quem eles se parecem mais (na maioria dos casos é com pai…) e eles já estão mais atentos ao que acontece ao seu redor. Como eu sou uma mãe não muito normal, sabe o que eu fiz? Coloquei a Galinha Pintadinha pra ela assistir (isso mesmo, com 3 meses). E acreditem, ela ficou hipnotizada kkkkkkkk. Então foi ai que eu descobri que era possível fazer as coisas que tinham pra fazer que ela ficaria ali quietinha assistindo, até a hora de mamar.

Sabe, antes de eu engravidar o povo só sabia falar as partes difíceis de ser Mãe, o que não deixa de ser verdade, são muuuuitos momentos difíceis e eu ainda não passei nem por 10% do que devo passar. Mas ser mãe fez de mim uma pessoa melhor, me fez ter mais responsabilidades, me fez ver a vida de outra maneira (hoje em dia tenho muito medo de morrer kkkkkk), me fez super protetora, me mostrou o que é amor incondicional e me deu uma amiga e companheira pro resto da vida. Ser mãe não é fácil, requer todo o seu tempo e dedicação. Mas no final, um simples sorriso e um carinho gostoso daquela criaturinha ali, te faz a pessoa mais feliz e satisfeita do mundo. Se você está prestes a passar por isso, seja bem vinda à esse maravilhoso mundo.

E foi entre essa fase, passando por momentos bem parecidos que a Amanda e eu tivemos a ideia de criar o Chá da Mamãe, para trocar experiências e dividir com vocês o que estamos vivendo.

Espero que tenham gostado do post, e espero mais ainda que ele possa de alguma forma ajudar de alguma maneira em sua vida. Qualquer dúvida, critica ou sugestão é só deixar nos comentários 😉

Beijão e até a próxima, Cris Rendeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s